Group 1 Portugal: Corrida quentes com vários novos vencedores


  • Paulo Vieira vence a primeira e Ricardo Pereira a segunda

  • Família Gaspar dá passo de gigante na luta pelo título dos H81-1600

  • Production Cup voltou a trazer surpresas

A terceira jornada dupla do Group 1 Portugal teve lugar este fim de semana no programa do Algarve Summer Party, no Autódromo Internacional do Algarve. Em duas corridas altamente disputadas nas diversas categorias, em que o muito calor colocou pilotos e máquinas à prova, Paulo Vieira e Ricardo Pereira dividiram as vitórias.

Partindo da primeira posição da grelha de partida, Ricardo Pereira assumiu a liderança da corrida à frente de um aguerrido pelotão perseguidor de Ford Escort RS 2000 da classe H81-2000. O piloto-preparador manteve o primeiro lugar até à paragem nas boxes, quando Paulo Vieira tomou de assalto a primeira posição para não mais a largar, tendo a recebido a bandeira de xadrez com três segundos de vantagem sobre Ricardo Pereira.

A luta pelo último lugar do pódio foi igualmente animada, com Rui Azevedo a seguir na traseira dos dois primeiros até à ronda de paragens nas boxes, tendo ai ascendido momentaneamente ao segundo lugar, lugar que perdeu pouco depois para Ricardo Pereira. Já Francisco Freitas/João Moreira vieram do sexto lugar para a última posição no pódio, com uma segunda parte de corrida fulgurante, ultrapassando pelo caminho Nuno Breda, que fez uma das suas melhores exibições da temporada, e Rui Azevedo.

Paulo Vieira e Ricardo Pereira continuaram o seu duelo no início da primeira corrida, que ficou marcado pela desistência de Francisco Freitas/João Moreira logo na primeira volta traídos pela motor do seu Escort. Desta vez, Ricardo Pereira não deixou escapar a vitória, ultrapassando Paulo Vieira na oitava volta das dezasseis. Rui Azevedo foi o terceiro classificado, à frente do duo Filipe Martins/João D. Lopes. Pior sorte tiveram Nuno Breda e António Maia que seguiam no pelotão da frente quando uma colisão estragou a corrida a ambos.

Madalena Gaspar e Fernando M. Gaspar deram um passo de gigante rumo ao título da classe H81-1600, aproveitando o facto do VW Golf de Rafael Cerveira Pinto/António Liberal ter claudicado logo no início da primeira corrida devido a um sobreaquecimento do motor do carro. Contudo, a dupla mãe e filho não se acomodaram à situação, tendo realizado duas corridas ao ritmo que se esperava, obtendo um décimo lugar na primeira corrida e um notável quinto lugar no segundo confronto.

O Jaguar XJS V12 de António Castro Pinheiro/Ernesto Vieira não foi oposição para os Escort, mas dois triunfos indiscutíveis na classe H81-MAX da categoria, que contou na segunda posição com o regresso dos irmãos Antonio e José Fresco num revigorado Ford Capri.

Igualmente em evidência estiveram Luís S. Costa, que num Datsun 1200 da categoria H71-1300 fez um brilharete, ao ser o oitavo a cortar a linha de meta na segunda corrida, ao passo que a dupla José Paradela/Vitor Santos, em BMW 1600 Ti, da classe H76-1600, foram os décimos.

PRODUCTION CUP:

Com um número recorde de inscritos, a Production Cup voltou a oferecer um espectáculo dentro do espectáculo, com corridas electrizantes, novos vencedores e finais decididos na última volta.

O Datsun 1200 de Pedro Reis/Paulo Costa venceu na derradeira curva a primeira corrida do fim de semana, com uma ultrapassagem nos limites a Tomás Pinto Abreu, com os dois carros num “sprint” frenético a cortarem a linha de meta separados por 0,099 segundos. No seu melhor fim de semana de sempre na competição, Pedro Gordo/Rúben Ferreira obtiveram um pódio na primeira corrida, na frente de Alberto Xavier, líder da Production Cup, mas guardaram o melhor para o segundo confronto.

Tomás Pinto Abreu teve um bom momento inicial, apenas interrompido por uma fuga de óleo ditou o abandono de um dos habituais favoritos à vitória. Pedro Gordo/Rúben Ferreira assumiram então as rédeas da corrida, com uma performance de excelência conquistaram a sua primeira vitória na categoria, seguidos por Pedro Reis/Paulo Costa, que saíram de Portimão com uma excelente operação em termos de pontos. O último lugar do pódio ficou para Paulo Félix Ribeiro, um resultado de todo inesperado, pois no dia de sábado o piloto da Figueira da Foz tinha ficado sem a terceira mudança no seu Datsun, problema resolvido com uma caixa-de-velocidades miraculosamente encontrada em Loulé.

PRÓXIMA PROVA:


O Group 1 Portugal regressa agora para uma das mais esperadas jornadas da temporada dentro do programa dos “250 km do Estoril”, evento que está agendado para o fim de semana de 19 e 20 de Novembro no Autódromo do Estoril.

Diogo Ferrão (CEO da Race Ready) afirmou: “Este foi um fim de semana com a habitual competitividade do Group 1 Portugal. Para além dos adversários em pista, os pilotos tiveram que ultrapassar os obstáculos colocados pelo muito calor. Com um calendário de quatro corridas, vamos para os 250 km de Estoril, que é sempre a prova mais aguardada do ano, aonde se vão definir os vencedores de 2022.”