Historic Endurance termina temporada em Jerez com vitória portuguesa

  • Os espanhóis Gonzalez/Lopez conquistaram a Pole-Position em Porsche 968 CS

  • Depois da chuva, veio o bom tempo para brindar uma fantástica corrida

  • Decisão da categoria H71 na última volta

Para encerrar a temporada de clássicos, a caravana do Historic Endurance e da Carrera Los 80’s viajou para Jerez de La Frontera para terminar o ano em pleno. Apesar da época do ano, as equipas tiveram direito a um fantástico dia de sol com uma temperatura acima dos 16ºC. Jerez de La Frontera é prodígia nestas “recaídas” de bom tempo no inverno e este fim-de-semana não foi exceção.



Face às circunstâncias da pandemia e da data Natalícia, o Iberian Historic Endurance correu, excecionalmente, em conjunto com a nova competição Espanhola Carrera Los 80’s, trazendo a Jerez mais de 30 equipas e mais de 50 pilotos.


Com a manhã a ser reservada para a qualificação, o piso seco levou a que a dupla espanhola Gonzalez/Lopez agarrasse a primeira linha da grelha de partida. A equipa Madrilena, com o original Porsche 968 CS, que estreavam na Carrera los 80s, garantiu a Pole, com a tripla espanhola Gutierrez/Ochagavia/Fuster, em Porsche 911 2.5 ST, a ficarem logo atrás e a serem os melhores da H1971. Já Ricardo Pereira/José Basso surpreendiam com um espetacular terceiro lugar com o Ford Escort RS2000. O Ford Mustang Shelby GT350, dos suíços, pai e filho, Ralf e Max Huber, foram os melhores da H65, com Paulo Duarte em Golf GTi logo atrás a liderar o Pre-1981 grupo 2, outra categoria dos H-1981. A liderar o grupo dos Gentlemen Drivers Spirit, saíu Nuno Nunes, de Porsche 911 SWB, com o Francês Vincent Tourneur logo atrás a um segundo de distância e com o Mini de Claudio Mota/Francisco Borreguero na terceira posição.

Corrida limpa e com decisões de posições na última volta Na partida, o destaque foi para o Ricardo Pereira/José Basso com o Ford Escort preparado no Porto pelo primeiro piloto, a conseguir dominar os primeiros 30 minutos da prova, sempre seguido de perto por Piero Dal Maso, em Porsche 911 2.8 Carrera RSR e Luis Pedro Liberal que, ao lutarem entre si, iam perdendo tempo para o líder. No entanto, como ia com pneus Toyo em vez dos obrigatórios Avon/Dunlop, foi obrigado a parar mais tempo na troca de Piloto.

Após a primeira troca de pilotos, o novo líder era agora Piero Dal Maso, seguido de José Carvalhosa e da dupla pai e filho Idelfonso e Alfonso Garcia. Rafael e Sanchez Alcalá, outros pilotos Andaluzes a correr em casa, seguiam de Porsche 911 2.7 RS a defender o segundo lugar da categoria H76 com a tripla Gutierrez/Ochagavias/Fuster a cair uns lugares nesta fase inicial e a serem os terceiros da H71. Logo atrás, o fantástico Shelby GT350 de Ralf e Max Huber esperavam uma escorregadela dos que seguiam à sua frente, mas estavam satisfeitos por serem os líderes da H65.



Nuno Nunes liderava tranquilamente a categoria GDS com o seu bonito Porsche 911 SWB e mais atrás, Paulo Duarte, de VW Golf GTi, debatia-se com outro Golf GTi, de pai e filho Menezes, embora este último representasse o Group 1 e que, infelizmente, viria a desistir prematuramente. O português Manuel Ferrão, de Ford Escort RS 1800 passava para a frente do francês Vincent Tourneur, que estreava aqui o seu Porsche 911 SWB.


Após a segunda paragem, os espanhóis Alfonso e Idelfonso Garcia assaltam a liderança da corrida com o seu Porsche 911 2.5 ST levando atrás o anterior líder, Piero Dal Maso, de Porsche 911 2.8 RSR que entra em luta direta com outro modelo idêntico da casa de Estugarda, mas um 2.5 ST, que disputa a categoria H71 e era pilotado pela tripla espanhola Gutierrez/Ochagavias/Fuster. José Carvalhosa vinha mais atrás, também em Porsche 911 2.5 ST e consolidava o terceiro lugar da H71. Rafael e Eduardo Sanchez Alcalá vinham em sua perseguição e mantinham o segundo lugar da H76.


Na Gentlemen Driver Spirit, Nuno Nunes continuava a liderar de Porsche 911 SWB sobre o Francês Vincent Tourneur, enquanto Paulo Duarte impunha o seu VW Golf GTi no Grupo 2 e animava agora a corrida com uma luta com o Ford Escort RS 2000 de Basso/Pereira, que representava o Group 1 Portugal. O fecho do pelotão cabia agora a Manuel Ferrão, de Ford Escort RS 1800.


Na fase final da corrida e depois da última paragem obrigatória nas boxes, Piero Dal Maso volta a recuperar a liderança da prova para não mais voltar a largar e cortar a meta em primeiro, vencendo também a categoria H76. José Carvalhosa, de Porsche 911 2.5 ST, que tinha conseguido passar a liderar a corrida até ao momento na categoria H71, não resistiu aos ataques que a tripla espanhola Gutierrez/Ochagavias/Fuster em modelo idêntico fez na última volta e perdeu a liderança desta categoria, ficando com o segundo lugar. A família Garcia, também de Porsche 911 2.5 ST, foram os terceiros da H71 num dos seus melhores resultados de sempre. Na H76, o vencedor da corrida foi secundado por Luis Pedro Liberal/Francisco Freitas que fizeram uma prova de traz para a frente e por Rafael e Eduardo Sanchez-Alcalá, de Porsche 911 2.7 RS. Nuno Nunes, que vinha logo a seguir no seu Porsche 911 SWB, foi o vencedor da Gentleman Drivers Spirit, deixando o francês Vincent Tourneur, também de Porsche 911 SWB em segundo desta categoria, com o Datsun 1200 de Tomás Pinto Abreu a fechar o Podium.

Os suíços Ralf e Max Huber levaram, desta vez, o seu Ford Shelby GT350 até final e venceram a categoria H65, enquanto Paulo Duarte levou o seu VW Golf GTi a vencer o Grupo 2, com Manuel Ferrão, em Ford Escort RS 1800, a ser o segundo. O Iberian Historic Endurance terminou aqui a temporada de 2020 e para Diogo Ferrão “esta prova foi marcada por um ambiente excecionalmente bom, porque as equipas participantes vieram divertir-se nos longos 250KM do Jerez. Sem um único Safety Car, tivemos vários líderes em cada categoria e todos regressam a casa com mais força para aguentar mais uns longos meses de pandemia até Maio, altura em que deveremos iniciar o calendário do próximo ano!"