O dia de todas as decisões…

  • Recorde de inscritos de sempre do Group 1 Portugal

  • Títulos da H81-2000 e da H81-1600 ainda por atribuir

  • Super equilibrada Production Cup ao rubro



Será na tarde deste domingo que, no Autódromo do Estoril, serão conhecidos os diversos vencedores da edição de 2022 do Group 1 Portugal na corrida mais importante da temporada, os 250km do Estoril. Com pontuações a dobrar, a mais longa corrida da temporada vai colocar à prova pilotos e máquinas, num confronto em que as estratégias das equipas e a fiabilidade das viaturas ganha tanto peso como a velocidade e destreza dos condutores.


Para Diogo Ferrão, o CEO da Race Ready, a entidade promotora do Group 1 Portugal, esta prova representa “o momento mais alto da temporada e uma das corridas mais esperadas pelos pilotos, equipas e preparadores, não sendo por isso de estranhar que iremos encerrar a temporada com a maior grelha de partida de sempre do Grupo 1. Ao final de dez anos de provas, conseguimos um recorde de inscritos. Isto, é um momento marcante na competição!”


Num programa condensado num só dia, as posições na grelha de partida para os 250km do Estoril serão discutidas na manhã de domingo, 20 de Novembro. A largada para a última corrida da temporada terá lugar pelas 15h15, com transmissão em directo nas redes sociais da Race Ready e do Group 1 Portugal.






UMA TARDE ESPECIAL


Em todas as edições dos 250km do Estoril do Group 1 Portugal, a vitória coube a um carro da categoria H81-2000 e a tradição deverá manter-se por mais um ano. São oito os Ford Escort RS2000 inscritos para a corrida mais longo do ano, sendo que o vencedor em título, Paulo Vieira, é o mais bem colocado para levar para casa o triunfo da categoria, bastando para isso terminar imediatamente atrás do sempre favorito Ricardo Pereira. O preparador-piloto fará novamente equipa com Carlos Dias Pedro, reeditando a dupla que triunfou nesta corrida em 2018.


Francisco Freitas, que também tem uma palavra a dizer na luta pelo título, fará equipa com Luís Pedro Liberal, dupla que apenas se alterou em Portimão após a ausência forçada de Liberal.


Para a corrida de cento e vinte minutos, o habitué Rui Ribeiro recebe a companhia de Paulo Alves, enquanto que Nuno Breda terá a seu lado pela primeira vez João Moreira, piloto que subiu ao pódio em Portimão ao lado de Francisco Freitas. Já António Maia fará equipa com o também estreante José Serra.


Entre os concorrentes habituais, João Mira Gomes e Nuno Afoito voltam a fazer equipa assim como Rui Silva Carvalho tenta a surpresa no seu Porsche 924. O pelotão irá acolher também pela primeira vez num Escort RS2000 trio António Segurado/Nico Stuerken/João Vieira Borges.


Na categoria H81-MAX, o título já está entregue à dupla do Jaguar XJS V12, André Castro Pinheiro/Ernesto Vieira. No entanto, os dois pilotos do carro inglês vão certamente querer fazer o seu melhor resultado da temporada na geral, enquanto tentarão manter à distância o Ford Capri MK III, um carro equipado com um motor V6 de 3-litros, dos irmãos José e António Fresco. A classe recebe este fim de semana duas novidades, neste caso o Porsche 924 Turbo, do quarteto formado por Miguel Sardo/Paulo Freire/Joaquim Penteado/Bruno Teixeira, e o BMW 323i de António Pinto dos Santos/Fernando Xavier/Tiago Silva.


Entre os concorrentes da classe H81-1600, Madalena Gaspar lidera confortavelmente, com duas dezenas de pontos de avanço sobre o seu filho e colega de equipa Fernando M. Gaspar, e basta-lhe levar o VW Golf GTi MKI da G-Tech ao final para conquistar o título. Rafael Cerveira Pinto/António Liberal, vencedores do ano passado, precisaram de alguma sorte para conseguir o título, mas estes com certeza procurarão pelo menos terminar o ano com um triunfo aos comandos do VW Golf GTi MKI do Team Squadra. A “arbitrar” este duelo vai estar um outro VW Golf, neste caso de Manuel Cabral Menezes, vencedor da classe em 2020, e Manuel Mello Breyner, piloto que há trinta anos celebrava a conquista do Troféu Polo G40. A fazerem a sua primeira época no Group 1 Portugal, Marcos Ruao e Nuno Pardalejo, no VW Scirocco preparado pela Gianfranco Motorsport, vão estar atentos às lutas que se irão desenrolar à sua frente, mantendo como objectivo um lugar no pódio.


Curiosa será a luta a três pelo triunfo na classe 1052, entre o Morris Mini de Carlos Aniceto/Carlos Maciel, o Peugeot 104ZS dos franceses Jacques Tillos/Frédéric Lariau, e o SEAT Panda Abarth de Paulo Antunes. Três pequenos carros com cilindrada até 1052cc mas com grande performances e resultados surpreendentes!


Como é costume nos 250km do Estoril, o Group 1 Portugal recebe vários concorrentes que habitualmente não participam na competição. João Miguel Ribeiro e José Ribeiro voltaram a inscrever o seu Alfa Romeo Giulia Super 1.6 (H71-1600), enquanto o vilarealense Luís Sousa Costa e Armindo Correia vão participar com o seu Datsun 1200 (H71-1300) de preparação Grupo 1. Rui Moura/António Duarte, em VW Golf GTI, e o dueto gaulês Denis Cassou/Benoit Lom, em Datsun 1200 Deluxe, não quiseram faltar a esta festa, estando inscritos como “convidados”.




Production Cup: Outra grande final com 11 Datsun ex-troféu


Numa prova em que os pontos são a dobrar e com 42 pontos em cima da mesa, na teoria, os actuais sete primeiros classificados, na competição monomarca que utiliza os Datsun 1200 ex-troféu nacional, podem sair do Estoril, no final da tarde de domingo, com o título nas mãos.


Reeditando com Paulo Costa a dupla que terminou em segundo na Production Cup nesta mesma corrida em 2021, Pedro Reis lidera as contas do campeonato, com uma vantagem de doze pontos para o segundo classificado Alberto Xavier, um dos pilotos que melhor tem sabido capitalizar a sua regularidade, a que este ano juntou uma vitória em Jarama.


Tomás Pinto Abreu - com dois triunfos esta temporada e uma vitória na Production Cup nos 250km do Estoril em 2019 - é o terceiro classificado, mas devido a compromissos no Campeonato de Portugal de Velocidade/Iberian Supercars Endurance não irá participar na prova. Logo atrás, com menos sete pontos, está a dupla da Unlock energy - Manuel Matos e Luís Santa-Bárbara. Este último quererá indubitavelmente terminar a sua quinquagésima temporada no desporto motorizado com um resultado igual ao de 2021, com uma vitória na Production Cup nos 250km do Estoril.


Mais distante nas contas do título está a dupla Pedro Gordo/Rúben Ferreira. O facto de não ter pressão suplementar poderá jogar a favor do duo da Gordo Racing Team, que espera certamente manter a boa forma da prova anterior, onde triunfaram na segunda corrida do Algarve Summer Party. Na mesma situação está Paulo Félix Ribeiro, que desta vez partilhará o volante do seu carro com Henrique Correia.


Mas não só dos candidatos ao ceptro se resumirá a corrida da Production Cup este fim de semana. A parelha pai e filha do Team Essiel, António e Matilde Lopes, que ocupam o oitavo posto na classificação, têm cumprido uma temporada de progressão e poderão beneficiar da incerteza da corrida para tentar superar o seu melhor resultado da temporada, um quarto lugar em Jarama. Já Jorge Rodrigues, depois da primeira experiencia no Algarve, regressa no Estoril e irá desta vez partilhar a condução com Jorge Lobo.


Entre o leque de pilotos regressados e caras conhecidas deste troféu está João Posser, vencedor das Production Cup em 2018, que se apresenta sem-par para tentar repetir a vitória de 2020 nesta mesma corrida.


Também de volta estão Vítor Sampaio e Vasco Sampaio, que juntos pontuaram na primeira jornada do ano, ao passo que Francisco Marrão fará novamente equipa com Samuel Moura Teixeira e Manuel Moura Teixeira no Datsun 1200 carinhosamente chamado de “Vaca Louca”.


A novidade da última prova da temporada é a chegada da Galgo Motorsport, equipa com presença no karting e em provas de sim racing, onde Ricardo Marcelino fará dupla com Paulo Quintas.