3h Spa: Triunfo do Shelby Cobra dos especialistas da casa

Atualizado: 4 de jul.

- Christophe Van Riet/Fred Bouvy repetem triunfo de 2021

- Lotus vence Index de Performance

- Portugueses cumprem difícil missão




Christophe Van Riet/Frédéric “Fred” Bouvy, em Shelby Cobra, alcançaram uma vitória contundente na 6ª edição das 3 Horas de Spa, repetindo o feito obtido na edição transacta da prova mais longa da temporada do Historic Endurance.

Ao final da tarde de sábado nas Ardenas, sessenta e nove clássicos de excepção alinharam-se na grelha de partida da corrida mais longa do programa do Spa Summer Classic. O Shelby Cobra nº1 dos “homens da casa” rapidamente se afastou do Lotus Elan de Grahame Wilson/David Pittard, que largou do segundo posto, mas que acabou por perder vários lugares na primeira parte da prova. Especialistas do Circuit de Spa-Francorchamps, Christophe Van Riet e Fred Bouvy foram perseguidos de perto pelo Porsche 911 3.0 RS da equipa dinamarquesa da dupla Lars Rolner/Pierre-Alain Thibaut. Todavia, os belgas da Gipimotor apenas perderam a liderança na primeira ronda de paragem nas boxes. Com uma condução aprumada e um ritmo forte, a dupla belga foi a única capaz de completar 58 voltas a um dos traçados mais exigentes do mundo.


Se no topo da corrida cedo ficou perceptível que seria muito difícil destronar o duo belga em condições normais de corrida, a luta pela segunda posição foi naturalmente mais empolgante. Porém, com o decorrer da contenda, a dupla anglo-germânica Andy Newall e Rhea Sautter conseguiu impor paulatinamente o seu Jaguar E-Type ao Porsche dividido pelo dinamarquês Lars Rolner e pelo campeão belga de carros de Turismo de 1992, Pierre-Alain Thibaut. Com este resultado, o duo 911 3.0 S, que chegou a liderar a corrida, obteve um triunfo irrepreensível na classe H-1976.

Michael e Kallum Gray foram os quartos a receber a bandeira de xadrez no momento em que o sol desaparecia nas Ardenas belgas, mas a dupla britânica do Jaguar E-Type tinha razões para sorrir, pois com este resultado subiram ao último degrau do pódio na competitiva classe H-1965. O “Top-5” encerrou com mais uma viatura conduzida por uma senhora, neste caso o Porsche 911 3.0 RS que também veio do Reino da Dinamarca para ser conduzido por Annette Rolner e Michael Holden, e que no final da corrida celebraram o segundo lugar dos H-1976. O pódio desta categoria ficou completo pelo Porsche 911 3.0 RS dos franceses Cyrille Prevel/Patrice Chapon.



Depois da renhida sessão de qualificação de sexta-feira, esperava-se uma corrida muito animada no “toboggan des Ardennes” entre os concorrentes da categoria H-1971. Todavia, a vida da famoso Alfa Romeo 2000 GTAm da “Paris Match” dos francófonos Grégoire Colinet/Guillaume Colinet cedo ficou facilitada quando o Alfa Romeo Giulia Sprint GTA dos germânicos Peter Praller/Gilbert Wurth abandonou ainda na segunda volta da corrida e o Ford Mustang 302 Boss, tripulado pelo trio belga Emiel de Weerdt/Luc Branckaert/Bjorn Kabergs, sucumbiu duas voltas depois. O Alfa Romeo 2000 GTAm do duo alemão Bjorn Ebsen/Volker Hichert foi o segundo classificado, ao passo que os também germânicos Ralf Schnitzer/Torsten Tim Mueller levaram o Datsun 240Z a uma surpreendente terceira posição.



Vitória de um Lotus no Index of Performance

A competição promovida pela Race Ready que se destaca pelo espírito de “Gentleman Driver” e que se move pelo conceito “No Crashing, No Cheating, No Complaining”, voltou a premiar o vencedor do Index de Performance com um exemplar da prestigiada relojoeira suíça Cuervo y Sobrinos.


A vitória no Index de Performance, que valoriza a melhor prestação em função da idade, cilindrada e tipo de carro, coube novamente a uma viatura da marca inglesa Lotus. Ao volante de um ágil Elan 26 R, Bruce White/Steve Monk superiorizaram-se por uma curta margem a Andy Newall/Rhea Sautter (Jaguar E-Type) e a Bjorn Ebsen/Volker Hichert (Alfa Romeo 2000 GTAm).

Nota positiva para os portugueses

O contigente português deu muito boa conta de si num evento que nunca seria fácil, isto apesar da ameaça constante de queda chuva nunca se ter materializado na corrida. Bruno Duarte/Filipe Jesus, no Porsche 911 3.0 RS preparado pela Aurora Motorsport, foram os melhores classificados e com isso obtiveram um muito respeitável quinto lugar entre os H-1976. A estrearem-se nesta pista, ao volante do Ford Mustang afinado pela RP Motorsport, Paulo Lima, Bruno Lima e José Paradela estiveram igualmente em destaque, terminando às portas do pódio entre os H-1971, ao cortarem a linha de meta com os faróis ligados na quarta posição da classe.



O Ford Escort RS2000 MK2 de Nuno Breda/Ricardo Pereira/Diogo Ferrão poderia ter ambicionado um lugar no pódio entre os H-1976, mas uma paragem ainda na primeira hora devido a um pequeno problema eléctrico, que custou duas voltas a este trio, não os permitiu ir mais além do que o sexto posto entre os H-1976. Ainda na classe para as viaturas mais recentes do Historic Endurance, o BMW 2002 de Paulo Oliveira e Miguel Garcia viu a bandeira axadrezada na sétima posição. Numa corrida que fez três baixas entre a representação lusa, pai e filho Piero e Guilherme Dal Maso conseguiram levar o seu Porsche 911 SWB até ao final.


Para Diogo Ferrão, CEO da Race Ready, este fim de semana “teve um saldo muito positivo. Para além da grelha de partida de luxo, e da possibilidade de regressar a este enorme palco do automobilismo mundial num evento que vai ganhando a sua tradição. Foi a primeira vez que um carro do mesmo modelo repete a vitória numa corrida onde existem sempre muitas lutas ao longo do extenso pelotão, mas com andamentos muito idênticos e que, apesar das divertidas lutas, contou com um comportamento excelente por parte dos pilotos ao nível de comportamento em pista.”

A próxima prova do Historic Endurance será a sua estreia em Portugal em 2022. Já se encontram inscritas mais de 40 equipas de 5 nacionalidades diferentes na prova que faz parte do programa do Algarve Summer Classic e que se disputa dentro de um mês, no fim de semana de 30 e 31 de Julho, no Autódromo Internacional do Algarve.